06/02/2008

Um espectáculo à parte.

Mais um artigo político do inenarrável VALDEMAR HENRIQUES no portal Minderico.(http://www.minderico.com/minderico/artigo.asp?cod_artigo=179600)

É demais. Será que os “Gato Fedorento”não descobrem este tesourinho deprimente?

O que é que esta Excelência, para além de representar o piorzinho da cartilha do PCP de 1910, fará na vida? Alguém informa?

O best off do último artigo:

Por mais voltas que se tente dar, o país é atrasado porque temos uma chamada classe empresarial, no geral, analfabeta, boçal e incompetente.”

É brutal!!

Se não fosse pelo resultado que dava, uma dia gostava de ver este iluminado num cargo qualquer com responsabilidades. À frente de uma empresa ou de uma câmara.

12 comentários:

mindrico pensador disse...

Se o Valdemar lê isto vai haver trovoada

Anónimo disse...

lol
trovoada?!
ele devia era tar caladinho com intervenções insultuosas destas.
e também tem de aceitar a crítica e a gozação pública, enquanto tece opiniões públicas e é "personagem pública".

ps: subscrevo inteiramente o post.

2ºps: o país devia ser governado pelo pcp durante 5 anos seguidos, para vermos o que acontecia e para vermos no fim onde é que estavam os trabalhadores.

3º ps: não digo que o pcp, be e outros que tanto (da direito, por ex.) devam acabar. mas devia uma norma, como nos estatutos das empresas, a limitá-los a 10% nas eleições legislativas. são úteis, mas não com mais de 10%.

rui

Anónimo disse...

Este seria um tema importante a debater na casa de teatro. Infelizmente o VMCS parece já se estar a começar a "enfigueirar" para os debates e para andar a alertar para o que se passa.
Deixo aqui um repto ao VMCS; convide a camarilha dos representantes dos partidos politicos do concelho para mais um debate sem esquecer o Valdemar.
Ia ser bonito!

Mindericus Vulgaris disse...

Ná, ná! Não me parece haver vontade dos referidos políticos e muito menos de mim. Já dei para esse peditório.

Outros que apareçam a continuar.

A continuar os debates e a pegar em certos temas, a saber:

a) Polo Industrial a Norte do Concelho + Parque de Camiões TIR

b) Jardim no Largo das Eiras

c) Revisão alargada e com perspectivas de futuro do PDM

d) Pista de parapente

e) Ampliação da Casa Açores para edificação de um Museu Roque Gameiro suficientemente dimensionado e condigno.

Pode ser que os "amiguinhos" organizadores de festarolas comecem a pegar também nestes assuntos ;-)

Cá por mim, os planos passaram a ser outros. O que se verá nas próximas eleições autárquicas.

HAHAHA

vmcs - Coordenador do Portal Minderico em fase calado-mode

PS: Não façam juizos errados sobre a última frase - nos próximos 2 anos estou mais voltado para a Rede PNET :-)

Anónimo disse...

O “APPARATCHIK”

Ao ler o Minderico fui, mais uma vez, confrontado com um artigo do, inefável, Sr. Valdemar Henriques!
Elemento da “nomenklatura” portuguesa, este pequeno burocrata indígena, na tradição dos ensinamentos da velha escola soviética, brinda-nos com as suas reflexões sobre a legislação laboral fazendo considerações, sobre o chamado patronato, que são de uma deselegância , de uma falta de educação e de um desajustamento histórico sem limites!
O homem parou no tempo, bloqueou; não será um “Dinossauro Excelentíssimo”, como diria o saudoso José Cardoso Pires, porque nem para isso tem categoria, mas é, certamente, uma pequena relíquia, de tiques estalinistas, digna de figurar num qualquer gavetão anónimo dos muros da Praça Vermelha!
Por onde é que tem andado esta criatura?
Tem vivido em Vila Nova da Rabona?
Será que ele ainda vive na época da defunta URSS quando ela representava, para os “aparatchiks” portugueses o “sol que iluminava o Mundo”?
Certamente familiarizado com expressões, ou termos, relacionados com a extinta URSS, saberá o que querem dizer termos como “Glasnost”, “Perestroika” ou “Gulag”.
Só para avivar a sua memória, tão cara aos ultrapassados e falhados ideais soviéticos, queria dizer-lhe que “Glasnost” significa transparência, que “Perestroika” significa abertura e que “Gulag” significa a existência de um sistema de campos de trabalhos forçados para criminosos e presos políticos!
Quando escreveu o seu execrável artigo, nunca se lembrou destes termos?
Lembra-se da situação, dada a conhecer ao Mundo civilizado, após a Perestroika?
Dado que, parece ter-se esquecido, eu recordo-lhe que o mundo cultural, económico e politico da URSS estava fechado dentro de si próprio pelo que se gerou uma estagnação total regida por uma “Nomenklatura” que vivia, pomposamente, à custa de um imenso proletariado, indignamente explorado e sem quaisquer direitos ou regalias.
Embora a situação já fosse conhecida no exterior, só se pôde ver a sua verdadeira extensão, após a “Perestroika”.
Isto é uma realidade histórica que, por mais voltas que dê, não pode escamotear!
Ora sabendo-o defensor desde status quo, como é que tem o atrevimento de subscrever um artigo como o que publicou no Minderico?
Pior do que quem não vê é aquele que não quer ver!
Como é que tem o descaramento e a falta de vergonha de apelidar a generalidade da classe empresarial portuguesa de analfabeta, de boçal e de incompetente?
Como é que se atreve a desancar a iniciativa privada, acusando-a de gerir mal e de roubar mais?
Fala da “lei do chicote” nas empresas portuguesas e quer branquear as condições, muitas vezes sub humanas, em que viviam os trabalhadores em qualquer regime comunista! Isto não é falta de vergonha e de carácter?
Acaso o modelo de economia estatizada, que parece defender, conseguiu atingir algum desiderato daqueles que se propunha?
Em algum País, ou união de Países, onde foi aplicada a teoria marxista foi conseguido o nível de desenvolvimento e bem estar a que se propunha?
Não Sr. Valdemar Henriques; o que se viu nesses países foi uma classe dominante e despótica viver à custa de uma multidão de trabalhadores sem direitos, sem aspirações, sem regalias e sem outro objectivo que não fosse a sobrevivência, muitas vezes em condições degradantes e no limiar da probreza!
Como explica o êxodo, em massa, para o ocidente, de milhares de trabalhadores fugindo do “milagre soviético” após a perestroika?
Felizmente, após o 25 de Abril, a maioria da população portuguesa conseguiu afastar o PC e seus apaniguados da área do poder; se assim não tivesse sido como viveríamos hoje?
Como se vivia na ex URSS?
Como se vive na Coreia do Norte?
Como se vive em Cuba?
Como se vive e trabalha na China?
Vi, no Minderico, que é dirigente sindical e membro do PCP; isso significa que faz parte dos aparatchiks modernos que, vivendo no conforto do capitalismo e usufruindo das suas mordomias, certamente recebe um salário confortável pago por grande parte daqueles que hoje considera escravos da tal classe empresarial que apelida de analfabeta, boçal e incompetente mas, sem a qual, sem a sua iniciativa e a contribuição dos seus trabalhadores, não seria possível produzir riqueza!
Porque é que não cria uma empresa?
Se o fizesse e aplicasse todo o saber conseguido a ler os manuais marxistas, de que é tão devoto, e a experiência adquirida enquanto dirigente sindical teríamos, certamente, no nosso Concelho uma empresa modelo e com a qual muito poderíamos aprender.
Vá para a frente, homem, e mostre-nos o caminho!
Ensine os empresários ignorantes deste País, não tenha medo!
Hipoteque a sua casa, se é que não está a ser explorado por algum senhorio capitalista, e invista, crie postos de trabalho, absorva desempregados, crie e distribua riqueza, deixe de viver à custa dos outros!
Infelizmente, creio que não tem coragem, nem estofo, para isso!
Vai continuar toda a vida aparatchik, porque é mais fácil e é mais cómodo!
Devia mostrar mais respeito por todos aqueles que, com muito sacrifício e trabalho, coadjuvados por trabalhadores dedicados, procuram produzir riqueza, colocando, muitas vezes em risco o seu património, a sua vida familiar e a sua saúde!
Todos esses, e todos os trabalhadores sérios e competentes que integram as nossas empresas, merecem mais respeito e consideração de quem nada faz, que se limita a vender banha da cobra e a receber, no fim do mês, um salário, que não mereceu e, para o qual, nada produziu!

o povo unido jamais será vencido disse...

PELO MENOS O V. HENRIQUES ASSINA OS SEUS TEXTOS. SE ELE LÊ ISTO VAI CHAMAR COBARDE A ESTE ANONIMUS QUE DEVE SER UM DOS INDUSTRIAIS DE MINDE QUE NEM SEQUER PAGAM SUBSIDIO DE ALIMENTAÇÃO AOS INTRÉPIDOS TRABALHADORES

Anónimo disse...

O PCP Sempre governou o PAÍS desde a 1ª Constituição desta Républica.

O empregador com filhos, pode pôr um filho na rua sem ser penalizado e não pode pôr um empregado na rua, só encerrar a empresa e mesmo assim ainda pode ir preso.

Põe o filho na rua sem justa causa e não pode pôr o empregado com justa causa.

Isto é de LOUCOS, só neste País.

Anónimo disse...

O facto de assinar os textos não quer dizer que eles não sejam uma trampa pegada!
Aquilo que ele esvreveu é um insulto à inteligência!

Anónimo disse...

Bem vistas as coisas o Valdemar Henriques é um João Manuel Querido ao contrário.

Podem ser considerados os bobos da corte, ou melhor, os bobos da corte do Concelho de Alcanena.

O JMQ regressou ao minde online depois da humilhação publica que sofreu, imbuído daquele espírito de quem se julga vir a salvar o concelho com as suas iluminadas teses de funcionario publico espiao dos contribuintes (a função dele nas finanças é descobrir o que anda nos computadores das empresas, sabiam? É um verdadeiro craque da espionagem electrónica)

O Valdemar Henriques defende o indefensável e que já provou ser um fiasco social - a ditadura dos iluminados proletários.

Enfim, temos muitos iluminados no concelho. Não nos bastava as iluminadas do CAORG.

o vazou-se disse...

Agora, o que não faz qualquer sentido é a “deserção” do Dr. João Manuel Querido.

A pressão da crítica, quantas vezes injusta, é grande e temos que saber enfrentá-la.

Por isso, caro Dr. J.M Querido, o seu descontrole perante o stress faz-me recordar os tempos da Escola Primária quando, alguns alunos sob a pressão de uma pergunta difícil, se descuidavam e se ouvia, quase de imediato, uma voz lá do fundo :” Sô Prufessô, este menino vazou-se!

Foi o que lhe aconteceu, Dr. Querido, vazou-se e é pena!

X disse...

O santinho irmão da santinha da familia dos santinhos é o tal. Reformado da função publica recentemente vai pegar no concelho de alcanena e bum! vamos ter uma explosão de progresso!

Rui Tavares disse...

O que vos custa é ler e ouvir a Verdade, são pessoas sem dignidade, que ainda por cima se viram contra quem os quer ajudar!!
Não se fez o 25 de Abril para isto!