05/02/2007

o referendo é já no domingo - Não esquecer

Dia 11 (domingo) não se esqueça de ir votar.

E vote no sim.

Diga não aos abortos clandestinos. Ao abandono das mulheres. Aos cuidados para-médicos dignos de países de 3.º mundo. Aos 1400 internamentos, só em 2006, por complicações pela prática de aborto clandestino.

Ajude a pôr fim a uma das maiores vergonhas existentes em Portugal, que afasta as mulheres de todo o apoio possível e que, como se sabe, faz aumentar o nº de abortos em Portugal.

Abandone os lirismos e as hipocrisias daqueles que vêem com talas nos olhos. Que querem impor-se à força e pela força aos outros. Que desprezam vidas e direitos em favor de vidas e direitos que eles melhor qualificam. aqueles que querem fazer dos outros parvos e das leis figuras decorativas. Que não se importam com os nºs e estatísticas, porque para eles está tudo bem e não há que mexer em nada. Que são contra a penalização das mulheres pela prática de abortos até às 10 semanas, mas votam contra uma lei que virá resolver este flagelo.

Vote sim, e ajude Portugal a dar um salto de civilidade.

ps: desculpem este assomo de propagandismo facilitista. É que, tão perto de isto tudo se resolver, todos somos poucos para tentar "ganhar" um direito que nem deveria estar sujeito a discussão.

14 comentários:

Anónimo disse...

Soltem as criancinhas.
Cambada de isensíveis depravados que ainda por cima usam preservativos quando saltam á espinha das moçoilas. Não há direito!

Andam aí pessoas que até praticam ... a .. a masturbação!

Ao menos façam como eu, seus assassinos. Quando me toco, guardo tudo num frasquinho, para quando for preciso. Não mato nada, percebem?

O hitler ao pé de vocês era um aprendiz.
Sim, vocês! Alguns de vocês chegam a matar alguns milhões por dia, seus depravados. Ou pensam que eu não sei?!!

o mundo está perdido.

Anónimo disse...

Mantenham-se castos. Nada de fodas!
Nem punhetas!

Anónimo disse...

Hipocrisia??? então e os defensores do SIM que dizem que as crianças que nascem sem que os pais queiram vão sofrer imenso? Será que estão preocupados com as crianças ou com a vida de merda que vão ter se elas nascerem? Hipocrisia? Não me lixem! Estamos no Sec. XXI. Amem amem, mas previnam-se em vez de se safarem de problemas com a morte de quem não tem culpa nenhuma! Hipocritas da treta.

Anónimo disse...

Prevenir? Usando anti-concepcionais? Ou sendo castos e dando só o numero de kekas necessárias na vida para gerar os consequentes filhos?

Olha lá, ó anónima - aindas és virgem? Vais conceber como a Virgem Maria?

Vê lá não faças nenhum aborto, se não o Padre manda-te para o inferno HAHAHAHAHAAH

xxxxxxxxxxxxxxxxxx disse...

À falta de nível e bom senso... escrevo o silêncio. Faça o mesmo, caro penúltimo anónimo. Não desça nunca... desapareça é deste sítio, antes que fique como eles(as). Acompanhe-me na fuga e nunca dialogue com imbecis. Aprenda que eu não duro sempre :)

Polge do ninhou disse...

O lado negro, feio, ortodoxo, cínimo e hipócrita do NÃO vem este mês escarrapachado no Jornal de Minde.

Impressionante como o Jornal de Minde passa ao lado de tanta coisa, ignorando olimpicamente tantos factos e distorcendo outros para fazer passar a sua tese.

E chega ao limite de convocar um argumento que nem nos múltiplos debates que têm havido acerca do tema os partidários do não evitaram mandar (mesmo os mais reaccionários ou atrasados): o preço dos abortos para o país.

É preciso não perceber nada de nada para mandar um argumento destes.

Eu que pensava que o Padre Albino era uma pedrada no charco, fiquei mesmo triste com o artigo.

Polge do Ninhou

vmcs disse...

O Sr. Padre Albino devia perguntar-se:

Quanto custarão em sofrimento e em DINHEIRO também, mas sobretudo em sofrimento, os abortos clandestinos?

Tambem eu fiquei desiludido com o Padre Albino.

Vivemos neste mundo e não noutro senhor Padre.

Não se erradicam fenómenos que todos deploramos com intolerância, má-fé e, sobretudo, olhando para o lado, fingindo não ver.

Mas como discutir como uma Igreja que até está contra o simples uso do preservativo?

Lembro aqui que João Paulo II, confrontado com a morte devido à sida que grassa em África, apenas sugeriu:

Sejam castos!

Por amor de Deus! Será que é assim que vamos progredir? Será que é assim que se resolvem doenças e problemas?

Lembro ainda que só no reinado de João Paulo II a Igreja, ou antes, as suas hierarquias, retiraram a aceitação da pena de morte em 1993, do seu código de direito canónico.

Mais de 200 anos depois da Revolução de 1789 e de ter sido abolida por muitos países.

Francamente!

Todos somos contra o aborto, Sr. Padre. Punir as mulheres resolve alguma coisa? NADA. AGRAVA ainda mais!

Tolerância senhor Padre. Tolerância. Será assim tão difícil ser tolerante?

Fala-lhe o seu amigo Vítor, que tem somente 3 filhas, Sr. Padre. Espero que nunca se vejam numa situação destas, pois sei que deploram o aborto tanto quanto eu. Mas se um dia acontecesse, o Sr. Padre aconselhava-me a denunciá-las à Polícia?

E o Sr. Padre se soubesse, escrevia ao Bispo da Diocese para que fossem excomungadas?

Vamos trabalhar todos para erradicar este flagelo, Sr. Padre. Tentando educar, tentando PREVENIR, ensinando os jovens a evitarem estas situações. Com educação sexual, com recurso a planeamento familiar, com anti-concepção sensata e segura, com AMOR e TOLERÂNCIA.

Por amor de Deus! Tolerância Sr. Padre Albino - Tolerância e amor. Nunca com punição. Jesus não punia, perdoava e amava!

Vítor

Anónimo disse...

Acho um piadão aos apoiantes do "sim": "nós somos contra o aborto". Ora, se são contra o aborto porque votam para que se legalize uma coisa de que são contra? não percebo, devo ser estupido. eu sou contra a fraude, por isso, não votaria a favor da despenalização da mesma. Parece-me diarreia mental! O problema é que num país de verborreias, vai ganhar o sim, como se sabe! temos o que merecemos: diarreias!!!

zigoto disse...

Caro anónimo,

Só um aborto intelectual é que pode afirmar ser a favor do aborto e contra a vida.

Do que se está a falar é de uma lei que pune criminalmente as mulheres que queiram abortar.

Nem lhe vou explicar, a nível dos princípios, porque isso é errado.

Mas, a nível dos efeitos práticos, sabe o que isto significa?

Como sabe, a lei é inexistente. Ninguém lhe liga, ninguém a cumpre. Mas, sendo o aborto até às 10 semanas crime, tudo o que seja apoio para as mulheres, instalações e apoio médico condigno, etc, etc, não existem, porque o sistema os afasta.

O NÃO, ao ignorar isto, além de dar mostras de cinismo e hipocrisia intelectual, entra em contradição insanável.

O facto de o aborto até às 10 semanas ser crime e de o nosso sistema afastar todo o poio para as mulheres, leva-nos aos lindos números que temos hoje em Portugal:

50 abortos clandestinos por dia praticados por mulheres portuguesas.

È isto, e o seu verdadeiro significado, que vocês defendem?!

Espero, sinceramente, que o SIM ganhe, e que vozes anacrónicas como as que ainda grassam por este país e por esta terra finalmente se calem e se dedicam a lixar a cabeça às filhas e sobrinhas, quando elas lhes aparecerem em casa de balão de um qualquer primo mais novo ou de algum marialva que Vexas. não acham muito conveniente para as princesinhas.

Uma boa noite.

Anónimo disse...

Este anonimo afinal é a favor dos abortos clandestinos. Só que fecha os olhos para não ver esta tragédia.

Grandessíssimo filho da puta!

vmcs disse...

Ao anónimo que escreveu a seguir ao meu´post:

Este fim de semana estou em Minde. Procura-me pessoalmente afim de que eu possa, também pessoalmente, dizer-te o seguinte:

Vai-te foder!

Vítor Manuel Coelho da Silva

casal grande disse...

filhos da puta sao os que nao conseguem dar a cara seu cobarde!!!!!!!!! sai de linha que vai passar o comboio..........
ANONIMOS DE MERDA.

Anónimo disse...

ahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahah
QUE BLOG DE GENTE COM NÍVEL!!!ahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahah

vmcs disse...

Aguardo a vossa análise aos resultados do referendo. Estou curioso :-)
Cumprimentos
Vítor